Meu Carrinho 0 itens

Salve-se Quem Puder!

Passe o mouse para ampliar

Mais Visualizações

Salve-se Quem Puder!

No catálogo desde: 29/11/2019

Seja a primeira pessoa a avaliar este produto

Disponibilidade: Em estoque

R$69,90

Descrição Rápida

....

Detalhes

SALVE-SE QUEM PUDER!
CARTUNS E FOTOS DE DUAYER

Livro resgata obra do fotógrafo
e cartunista do Pasquim
e homenageia os 50 anos do jornal


Como parte das comemorações dos 50 anos de fundação do Pasquim, chega às livrarias Salve-se Quem Puder! Cartuns e Fotos de Duayer, editado e organizado pelo jornalista Francisco Ucha com uma seleção dos melhores trabalhos que o fotógrafo e cartunista produziu para O Pasquim. A obra resgata mais de 250 fotos e cartuns memoráveis publicados durante a melhor fase do jornal, no início dos anos 70 até meados dos anos 80.
O prefácio ficou a cargo de Jaguar, um dos fundadores do Pasquim que, juntamente com Henfil, descobriu o talento de Duayer para o desenho e apadrinhou o então fotógrafo do jornal. O texto da orelha é do jornalista e cartunista José Alberto Lovetro (JAL), criador do Prêmio HQMix. Os jornalistas Paulo Chico Paes e Sandro Fortunato, criador do site Memória Viva, também participam do livro.
A obra será lançada em meio às celebrações que acontecem a partir de novembro, como a exposição O Pasquim 50 Anos, no Sesc Ipiranga, aberta ao público a partir do dia 20; o Painel O Humor do Pasquim, que acontecerá no dia 7 de dezembro a partir das 17 horas na CCXP; além do lançamento no site da Biblioteca Nacional da digitalização de toda a coleção do jornal.

 


Apesar de criados nas décadas de 70 e 80, os cartuns são incrivelmente atuais e demonstram que o Brasil pouco mudou nesse tempo.
O livro tem 192 páginas impressas em papel couchê fosco de ótima qualidade que ressaltam a qualidade das fotos e o traço nervoso e firme de Duayer. O formato tem 17x23,7cm e a capa é impressa em cartão com laminação fosca e reserva de Verniz UV.

 

O Pasquim
O Pasquim foi o principal órgão da chamada imprensa alternativa surgida no país no final da década de 60 e início da década de 70, e é considerado o jornal que mais influenciou a grande imprensa.
De uma tiragem inicial de 20 mil exemplares, o semanário atingiu a marca de mais de 200 mil exemplares semanais em seu auge, nos anos 70, tornando-se um dos maiores fenômenos do mercado editorial brasileiro da época, passando a ser o porta-voz da indignação social brasileira.
Lançado em 26 de junho de 1969, apenas seis meses depois de instituído pela ditadura militar o grave Ato Institucional Número Cinco, o jornal O Pasquim procurou ocupar um espaço alternativo dentro da imprensa enclausurada pela censura.
Fundado pelos jornalistas Tarso de Castro e Sérgio Cabral e pelo cartunista Jaguar, o semanário nasceu com um afiado teor crítico e usava o humor irreverente como arma para tratar das questões mais sérias e importantes do Brasil e do mundo.

Duayer no Pasquim
Aos poucos se integraram à equipe do hebdomadário colaboradores de peso como Ziraldo, Millôr Fernandes, Claudius, Fortuna, Henfil, Paulo Francis, Ivan Lessa e tantos outros. Em 1973 foi a vez de Duayer ser contratado como fotógrafo do Pasquim que passou produzir imagens antológicas de personalidades da época e ilustraram capas, entrevistas e as famosas Pasquim-novelas.
Logo, o mestre da fotografia também se revelou um cartunista de mão cheia e visão crítica. Não por acaso, Jaguar escreveu no prefácio do livro a melhor definição sobre esse brilhante cartunista e fotógrafo:
"O traço de Duayer tem uma característica difícil de encontrar: é inconfundível, desde o princípio; não parece com nenhum outro. Seu humor, com idéias brilhantes e inventivas, é sombrio; os leitores riem mas seus personagens nunca, a não ser um riso sádico. Parafraseando Augusto Boal, o humor de Duayer poderia ser chamado de humor do oprimido. Tem sempre alguém oprimindo alguém em seus cartuns."


SALVE-SE QUEM PUDER! CARTUNS E FOTOS DE DUAYER
Uma homenagem aos 50 anos do Pasquim
Livro de 192 páginas com cartuns e fotos de Duayer. Textos, histórias de bastidores e um perfil contextualizam o período.
Formato 17x23,7cm
Projeto gráfico, curadoria e edição: Francisco Ucha
Revisão: Marcos Eduardo Massolini
Textos do editor e dos jornalistas Paulo Chico Paes e Sandro Fortunato
Textos especiais de Jaguar e José Alberto Lovetro - JAL
Desenhos, fotos, depoimentos de José Duayer
Edição conjunta WMF Martins Fontes e Ucha Editorial

 

Informações Adicionais

Fornecedor Independente

Etiquetas de Produto

Use espaço para separar as tags. Use aspas simples (') para frases.