sc

O Ditador Frankenstein e Outras Histórias de Terror

Passe o mouse para ampliar

Mais Visualizações

O Ditador Frankenstein e Outras Histórias de Terror

No catálogo desde: 12/12/2019

Seja a primeira pessoa a avaliar este produto

Disponibilidade: Fora de estoque

Preço Normal: R$69,90

Preço Promocional R$55,92

Você economiza: R$13,98 (20%)

Descrição Rápida

,,,

Detalhes

O Ditador Frankenstein e Outras Histórias de Terror, Tortura e Milicos é uma antologia que reúne12 HQs desenhadas por Shimamoto – 11 delas produzidas entre 1978 e 1982, ou seja, em pleno regime militar. Não deixa de impressionar, portanto, a coragem dos autores e editores em desafiar o autoritarismo então vigente, cutucando a onça com vara curta. Todas as HQs se enquadram no gênero terror, mas têm como tema a violência de Estados autoritários, o sadismo de torturadores, a censura e um inabalável anseio por liberdade. Tal e qual o incensado longa Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, aqui o fantástico atende à sua mais nobre função: discutir o real.

“O Ditador Frankenstein” – HQ que abre e dá nome a este livro – é uma delirante epopeia revolucionária escrita por um dos mais notáveis roteiristas do quadrinho brasileiro, o premiado autor literário Luiz Antonio Aguiar. Ao longo de 56 páginas, a bizarra trama oferece campo fértil para que Shima lance mão de seu agressivo uso de pena e pincel, equacionando de forma soberba as massas de luz e sombra em cada prancha. Seu storytelling claro e preciso nos conduz fluidamente pela narrativa, pontuada por páginas de design impactante. Aquela em que decupa o assassinato da guerrilheira Natália merece lugar especial no panteão das mais potentes e poéticas já produzidas. No Brasil e no mundo.

O DITADOR FRANKENSTEIN 3_RL.jpg

Shimamoto é, antes de tudo, um expressionista. Apesar do domínio absoluto de anatomia e perspectiva, dobra as formas para extrair delas sua máxima dramaticidade. Closes, supercloses e enquadramentos inusitados amplificam exponencialmente a tensão, eletrizam as cenas. É o artista do movimento frenético, da ação explosiva. Tudo vibra numa página de Shima.

Tal e qual “O Ditador Frankenstein”, “Esquadrão dos Mortos!” e “Atentados” exibem toda a perícia quadrinística de Shimamoto. Escritas por Basílio de Almeida – pseudônimo utilizado pelo renomado cartunista Luscar –, as HQs são protagonizadas pelo jornalista alcóolatra Jonas Beltron. À margem de suas desventuras, uma sutil denúncia da censura do período: o repórter nunca conseguia publicar fidedignamente suas melhores matérias por serem consideradas “fantásticas demais”. São também da lavra de Luscar o flerte com a ficção científica “A Revolução dos Insetos!” – onde o sempre experimental Shima produz etéreos meios-tons diluindo nanquim em água sanitária – e “No Centro da Cidade!”, HQ breve que articula zumbis e grupos de extermínio em várias camadas de leitura.

O DITADOR FRANKENSTEIN 4_RL.jpg

O Brasil inteiro conhece o humorista Reinaldo Figueiredo como o presidente Itamar Franco do programa Casseta & Planeta. A par desta gigantesca popularidade, Reinaldo é um dos grandes cartunistas do país, tendo começado sua carreira no seminal tabloide O Pasquim, onde a satírica “A Maldição do AI-5” foi originalmente publicada. Com colaboração do também cartunista Nani no roteiro, a HQ exibe um Shimamoto mais detalhista que o de costume, emulando os quadrinhos norte-americanos aqui editados pela revista Kripta.

A bem da verdade, “A Maldição do AI-5” não foi publicada no Pasquim propriamente dito, mas sim no Pingente – suplemento que vinha encartado no jornal. O Pingente, a propósito, teve seu cancelamento decretado graças a uma charge de Shima (a partir de uma ideia de Nani) intitulada “A Fuga”. No desenho, José, Maria e Jesus – retratados como porcos – fogem do Egito, em clara alusão à crise no mercado frigorífico causada pela Peste Suína Africana. Foi o bastante para deflagrar a ira do jurista e líder da direita católica, Sobral Pinto. A Codecri, editora responsável pelo Pingente, resolveu não peitar a parada e o suplemento foi pro ralo.

a fuga para o egito_shimamoto_DSC0062 CS6_RL.jpg

A clássica história sobre vingança vinda do além é o mote de “Sessão de Tortura”, único roteiro feminino presente na antologia, cortesia da escritora Maria Emília Kubrusly. O destaque aqui fica para o clima gore e a dor palpável dos torturados.

A estrutura de produção que dividia roteiro e arte no trabalho de dois profissionais distintos era a tônica dos ditos gibis de banca. Todavia, não era excepcional um mesmo artista acumular as duas funções. Shimamoto foi pródigo também neste modelo, como comprova “A Moça do Cemitério”, um improvável conto político-erótico-espírita, única HQ da editora paranaense Grafipar compilada neste volume. A maioria das histórias aqui selecionadas foram publicadas pela carioca Vecchi, graças ao heroico trabalho editorial de Otacílio d’Assunção Barros, o lendário Ota. Para se ter uma dimensão do volume de trabalho, naqueles idos a Vecchi publicava mensalmente mais de quatrocentas páginas de quadrinhos nacionais. Uma marca impressionante.

Muito em virtude da popularidade alcançada pelos filmes de terror da produtora britânica Hammer Films, nos anos 1970 a Marvel começou a lançar diversos títulos estrelados por monstros clássicos, como Drácula, Frankenstein e Lobisomem. Devido às baixas vendagens, o gibi da Múmia logo foi cancelado. No Brasil, contudo, o título era um sucesso, o que levou a Bloch Editores a continuá-lo com produção inteiramente nacional. Julio Shimamoto foi o desenhista escalado para a missão, dando vida aos roteiros do mítico Rubens Francisco Lucchetti, entre outros.

Como quadrinista, uma das características mais emblemáticas de Shima é se apropriar dos roteiros que recebe, acrescentando-lhes sua própria voz. Com a Múmia de Kharis não foi diferente. Descendente de samurais, Shima impingiu ao personagem uma pitoresca maestria em artes marciais. Sua Múmia lutava karatê, kung fu e o que mais fosse necessário, transformando o título num saboroso quadrinho infanto-juvenil, situado na fronteira entre o terror e a aventura.

Com os prazos estourando e sem um novo roteiro em mãos, Shima assumiu a tarefa de escrever as duas HQs aqui reunidas. Na primeira delas, um retumbante quebra-pau entre a Múmia e o monstro de Frankenstein. Como resultado, Kharis vai parar no Polo Norte, onde enfrenta o diabólico General Zumbi em “A Múmia Ataca os Zumbis do Pântano Perdido”. Os gibis da Bloch eram impressos em efusivas cores planas. Daí o meio-tom que as HQs apresentam em nossa edição, a pedido do próprio Shimamoto.

Completam a antologia duas HQs que, ironicamente, podemos considerar gêmeas. “O Gêmeo” foi originalmente publicada pela editora Outubro, em 1960. Os paralelos com a Revolução Cubana são evidentes. Sob o título de “O Monstro e o Gêmeo” a história ganha vida nova 19 anos depois, agora pela Vecchi. Trabalhando sobre fotocópias do original, Shima atualiza texto, letreiramento e sua própria arte, adicionando traços e sombras. Comparar as duas versões é um verdadeiro deleite quadrinístico.

 

IV

O Ditador Frankenstein e Outras Histórias de Terror, Tortura e Milicos é uma edição necessária. Triplamente necessária.

Primeiro, porque celebra os 80 anos de vida de um dos maiores patrimônios das histórias em quadrinhos brasileiras, Julio Shimamoto. Aqui, em um pequeno recorte, ficam evidentes seu talento e genialidade irrefreáveis, bem como as marcas de uma trajetória dedicada, de corpo e alma, a uma arte que sempre foi marginal.

A importância do livro se faz presente também ao lançar luz sobre a tradição do quadrinho popular brasileiro, abrindo possibilidades de diálogo com a produção contemporânea.

Mas acima de tudo está o estridente alerta contido nesta antologia. Doze HQs que deveriam ser registro e lembrança de um período historicamente superado se mostram, infelizmente, mais atuais que nunca. Que os monstros a nos assombrar retornem para suas fétidas criptas e de lá jamais se levantem. E que o terror exista tão somente nas páginas das boas histórias em quadrinhos.

O DITADOR FRANKENSTEIN 6_RL.jpg

Informações Adicionais:

Código Identificador (SKU) 9788556521489301
Editora Independente
Formato Indisponível
Categorias Quadrinhos | Independentes | L-P

Etiquetas de Produto

Use espaço para separar as tags. Use aspas simples (') para frases.